{Entonces}


ônibus lotado
fevereiro 28, 2007, 2:04 pm
Filed under: Hunft - fúria

onibus-amarelo.gif

Quem é que nunca passou pela desgraça de pegar um ônibus lotado, cheio de gente se encostando em você por falta de espaço até mesmo para respirar? 

Ainda mais naqueles dias de calor intenso que  mesmo com todas as janelas escancaradas (que te faz engolir a cabeleira da loira, que esvoaça pelo corredor afora, e a moçoila não se dá conta de que não está sozinha), gente suada “cheirando”  desodorante vencido…urgh! que nojo!

E aquele bando de estudantes então? Que entram no “latão” fazendo a maior algazarra, pulando, gritando, falando um monte de PALAVRÃO, e vc é obrigado a escutar aquele monte de porcaria, sem opção de escolha.

Sem falar que é comum  ter um tarado, pronto para se encostar na mulherada, se aproveitando da situação e fica aquele empurra-empurra, encosta-encosta, esfrega-esfrega. Aí a melhor saída é meter uma baita cotovelada, ou se tiver um guarda-chuva, já sabe onde meter né?

Pois é, quem mandou reprovar no DETRA 4 vezes?  Agora tem que passar por isso, lotação, espera infernal… e o carro lá, na garagem de casa, limpinho, cheiroso, tranquilinho…



Piada do Orkut
fevereiro 27, 2007, 1:50 pm
Filed under: Post do dia

haha.jpg 

Ahahahahahahh! Olha só a previsão do Orkut para mim hoje:

“Você nunca necessitará preocupar-se sobre uma renda constante

Acho que vou começar a jogar na Mega-Sena.



Melhor Previnir…
fevereiro 22, 2007, 10:04 pm
Filed under: Saúde

posicaoexame.gif

E como diz aquele velho ditado de sabedoria popular “mais vale previnir do que remediar”.

Pois é, e quando o assunto é previnir nossa saúde, aí sim é que este dito tem que ser levado à risca. Ainda mais quando se fala da saúde feminina.

Quero dividir com vocês um drama que não só aconteceu comigo, mas que ocorre com milhares de mulheres todos os anos.

Sabe aquele exame chato que toda mulher tem que passar  pelo menos uma vez ao ano? Sim, o exame ginecológico preventivo.

Eu sei que é super desagradável, e muitas vezes resistimos ir ao médico, porque “sentimos” que tudo está em “ordem”. Mas aí que mora o perigo , muitas vezes o inimigo está oculto e não dá nenhum sinal, a não ser na hora do exame preventivo .

Estou falando da importância do “Papanicolau”, que DEVE ser realizado pelo menos uma vez ao ano em todas as mulheres com vida sexual ativa.

Pois é o “papa-nicolau” que vai dizer se está tudo realmente bem com você, minha cara.

Sofrendo na pele

Há 4 meses descobri uma lesão no colo do meu útero através de um exame rotineiro no ginecologista, apesar de vacilar e ficar por dois anos sem o exame.  

Estava tudo bem com a minha saúde, não sentia nenhum sintoma, nada de diferente na lingerie. Aparentemente tudo em perfeita ordem, até que recebi uma ligação da minha médica. (Na Nova Zelândia é de costume os médicos ligarem pessoalmente para o paciente), pedindo que eu voltasse ao consultório para conversarmos sobre o resultado do meu exame.

Fui com a consciência tranquila, sem maiores preocupações, até encontrar a médica, que me mostrou o resultado e disse que o meu “pappa smear” tinha dado uma alteração e que eu deveria procurar um especialista.

Na mesma semana procurei um especialista, refizemos o exame, e além disso ele colheu material para uma biópsia. Esperei mais alguns dias até receber o novo diagnóstico do médico especialista.

Os exames mostravam uma lesão grande e perigosa no colo do meu útero. O médico explicou que eu teria que retirá-la o quanto antes, pois se eu não tratasse imediatamente, a lesão daria espaço para um câncer, em pouquíssimo tempo.

Eu e meu marido chegamos a conclusão de que seria melhor vir fazer a cirurgia aqui no Brasil, já que a cirurgia e a passagém aérea estavam quase o mesmo valor. Além do mais estaria junto com a mami, visitaria as pessoas que tanto gosto e não via há tempos, os médicos… etc e tal.

Cheguei aqui no Brasil, e menos de um mês já tinha operado. Foi uma cirurgia rápida e simples. Creio que durou apenas uns 15 minutos. Não senti nada de dor, a anestesia foi local e passei apenas uma noite no hospital,  para controle médico.

Tive 20 dias de repouso, sem dor, com pouco sangramento, e agora já voltei à vida normal e não vejo a hora de voltar aos braços do meu Babe.

Felizmente recebi a ótima notícia que a lesão foi toda retirada, e que necessito continuar o tratamento durante um ano. O tratamento consiste em fazer o exame preventivo a cada três meses, e ter o máximo de cuidado para não engravidar nesse período. Uma gravidez durante essa época de “cicatrização” seria de risco, pois como o colon de útero foi cortado, ele necessita de tempo para “crescer e fortalecer”. Mas isso também não me impede de uma futura gravidez, pois é só eu avisar o meu obstreta, que ele vai tomar os devidos procedimentos para uma gravidez saudável.

O mais interessante é que esta doença surge de um dia para o outro e vai crescendo, crescendo, e se  não cuidarmos pode virar num câncer de colo de útero irreversível.

No dia da minha cirurgia tinham mais 16 mulheres operando junto comigo, e todas com o mesmo diagnóstico, NIC lll. Eram de todas as idades, eu tenho 29, tinha outras na faixa dos 30 e 40, e até mesmo  uma menina de 19 anos.

O câncer do colo do útero não escolhe idade, de acordo com a enfermeira que estava me cuidando, ela disse que é muito comum meninas novas e até mesmo sem filhos apresentarem a doença, devido a vida sexual que vem se tornando cada dia mais cedo.

Entonces minha amiga, deixe a vergonha e a preguiça de lado e visite o seu ginecologista regularmente, no mínimo uma vez ao ano, mesmo que você não sinta nada errado com você, pois só o que vai dizer se está tudo 100% bem mesmo com a sua saúde são os exames médicos.

Se eu não tivesse deixado de ir ao médico antes, talvez não fosse necessário uma cirurgia, e sim algum medicamento… mas sabe como é né… as vezes a gente vai empurrando com a barriga e tal.

Mas agora eu já aprendi a lição, vou previnir, para não precisar remediar.

ah e para saber mais sobre o exame preventivo clique http://www.orientacoesmedicas.com.br/oqueepapanicolau.asp



fevereiro 20, 2007, 11:01 pm
Filed under: Post do dia

 ginasta17.gif

E nesses dias de folia que rola por aí, eu estou num clima mais light.

Nada de pular na avenida, e sim na academia.  Pois é meu caro, não sou muito chegada em carnaval não… claro que eu acho uma festa bonita, criativa e é a nossa cultura etc e tal… mas  na época em que estamos, as pessoas confundem Carnaval com mulher pelada, beijos gratuitos, sexo liberado.

Não, nem pense que eu sou uma puritana convertida, não mesmo, longe disso.  Mas não vim aqui p falar de carnaval e sim da baita dor que estou sentindo na minha perna…

Oh my gosh!  Há tempos não pisava em uma academia, porque tenho horror a isso, não curto aquela coisa de ficar puxando peso… mas como eu estou precisando “endurecer” estes 48 kg  para dar uma melhorada no material…hehehe… lá vou eu… comecei nas aulas de musculação, mescladas com as aulas de yoga (que eu amo), e de pump jump (que curti). O que eu odeio mesmo é  a tal da musculação, que deixou minhas pernas travadas que nem pude voltar para a academia hoje… tsc, tsc…. mas amanhã eu estarei lá, firme e forte, desta vez para trabalhar os braços.



fevereiro 16, 2007, 4:43 pm
Filed under: Post do dia

tira-carnaval.gif

 Alalaô-ôôô
O Carnaval está chegando….



Amigo é coisa para se guardar…
fevereiro 13, 2007, 9:34 pm
Filed under: Post do dia

abraco-cca.jpg

Coisa boa receber um telefonema com palavras de apoio e carinho, bem no meio da tarde, no momento em que a gente mais precisa.

Coisa boa demais ter amigos que se podem contar, conversar, dividir as dores.

Coisa boa ter pessoas queridas ao nosso lado que tem a sensibilidade de saber o momento exato em que precisamos delas.

DANI, muito obrigada pelo seu carinho de hoje a tarde. Você também é muito especial para mim AMIGA!



fevereiro 12, 2007, 6:12 pm
Filed under: Post do dia

saudadeSAUDADEsaudade 

 

saudade.jpg

E hoje fazem 3 meses que saí de Auckland, e a cena do aeroporto foi a mais triste que vivi nos últimos tempos. Odeio despedida, odeio não ter o controle das coisas. Odeio eu estar aqui e ele lá, do outro lado do mundo.

Três meses é muito tempo para quem ama, é uma dor enorme, é um pedaço que falta, é o ar que vai ficando escasso….

Não ter a pessoa que a gente ama por perto é como morrer aos poucos.  Já estou cansada de tê-lo por algumas horas através da web cam ou do telefone, não é a mesma coisa.  Não posso sentir a textura da pele, o gosto da boca, o cheiro, dormir de conchinha. ODEIO isso, odeio!

Quero que isso acabe logo, ele venha ou eu volte. Quero um reencontro real, chega de virtual. Quero voltar aos velhos tempos e sorrir outra vez.

(lágrimas)